• MM Assessoria Jurídica

Polícia Federal prende suspeito pelo vazamento de dados ocorrido em janeiro


Em janeiro, um grave incidente de segurança de dados pessoais foi amplamente noticiado pela mídia: a exposição do CPF, data de nascimento, scores de crédito, endereços, fotos de rosto e diversos outros dados de mais de 220 milhões de brasileiros.


Ainda no mês de janeiro, a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) declarou que "tomou providências para análise" e oficiou outros órgãos, como a Polícia Federal (PF) e o Comitê Gestor da Internet no Brasil, para auxiliar na apuração dos fatos e na adoção de medidas de mitigação dos riscos.


Após, aproximadamente, dois meses, a PF informou, por meio de nota publicada no seu site oficial, que deflagrou a "Operação Deepwater" no dia 19/03, ocasião em que cumpriu um mandado de prisão preventiva e cinco mandados de busca e apreensão nos municípios de Petrolina/PE e Uberlândia/MG.


A ordem judicial partiu do Ministro Alexandre de Moraes após a PF solicitar as medidas ao Supremo Tribunal Federal (STF).


Segundo notícias, o suspeito preso preventivamente estaria envolvido em outros incidentes, como a invasão ao sistema do Senado Federal e do Tribunal Superior Eleitoral que ocorreram no ano passado.


Créditos: Pixabay.

9 visualizações